O QUE É

Sequelândia é um estado de espírito, regido por duas entidades indianas: Kagandha y Andandha (vai dar tudo certo, desencana).

Uma transportadora express que não sabe se vai chegar. Um humilde durex, que não sabe se vai colar. Temos ginseng no sangue.

→ Junção de seque(la) com o sufixo lândia:

Sequela é uma alteração anatômica ou funcional permanente, que pode ter sido causada por uma doença ou um acidente. Complicação mais ou menos tardia – seu tratamento consiste em cirurgias corretivas e fisioterapia. Mas o que temos atualmente, por exemplo, não são lesões cerebrais em si. São sequelas, que geram algumas distrações, uma certa calma.

No meio desse conceito aparece a palavra *sequência, da qual utiliza-se o seque: *ato ou efeito de seguir, continuação de algo iniciado anteriormente. Conjunto de coisas, ações ou fatos que se sucedem sem interrupção, um após outro no espaço ou no tempo. Série.

Lândia é um sufixo para designar “terra, país, região”, como Disneylândia, Uberlândia, Groenlândia, Nova Zelândia. Uma adaptação que nosso idioma fez com o elemento germânico “land”. Sequelândia pode ser país das sequelas, lugar de distraídos, canto dos calmos?  Continuação? Uma série de “que” coisas se sucederão sem interrupção?

Sequelândia pode ser o que você quiser. Um amigo-escola, Fábio Gimene, assim definiu: “Existe um local, dentro de cada um de nós, onde o devaneio, a descontração, a curiosidade e a música se encontram para tomar uma cerveja, bater um papo e principalmente celebrar esse maravilhoso, torto, precário e ao mesmo tempo único ato ininterrupto até a morte: viver.”

Viver é sequência. O que se quer, causa e consequência.

Sequelândia é também uma banda (um bando).

OPINIÕES

• Uma inusitada colcha de retalhos, freestyle musical que embala letras irônicas e escrachadas. Talvez por isso tudo, o Sequelândia seja tão bom e divertido (Carlos Albuquerque / Jornal O Globo).

• Sequelândia é hit! Toco direto nas festas e na rádio (Maurício Valladares / DJ, fotógrafo e apresentador do programa Ronca Ronca, sobre a música “Sequelândia”).

• Achei a idéia do trabalho ótima, muito interessante essa coisa meio dub. (Henrique Portugal / Tecladista do Skank).

Gutz prepara pérolas que conquistam ouvidos das mais diversas estirpes (Tiago Velasco /Revista Outra Coisa).

• Muito bom o som. Groove solto. O mais importante no Gutz é a atitude, o conceito do trabalho; legal essa coisa de música para meia dúzia (Chacal – poeta e agitador cultural).

• Sob a batuta das colagens e loops de Gutz e com um cantor carismático/guitarrista foderoso como Nelson Burgos, há de se esperar algo incrível e único. Essencialmente rock ‘n’ roll, com swingadas de guitarras esporrentas.

VISTA A SEQUELÂNDIA

Em breve teremos camisas e camisetas básicas de malha. A Sequelândia (marca registrada) se prepara para (in)vestir.

MATÉRIAS